Prefeitura reorganiza finanças para absorver dívidas deixadas pela gestão anterior e dar andamento a projetos

 
 
Desde o início do ano, o sistema financeiro da Prefeitura de Muriaé vem sendo reorganizado pela Secretaria Municipal de Fazenda. O trabalho é executado pelo secretario Francisco Júnior, que também é auditor fiscal, e tem o objetivo de avaliar dívidas relevantes contraídas pela gestão anterior. A ideia é ajustar o que pode ser feito e fazer fluxo de caixa para dar continuidade aos programas e projetos em andamento.
 
“Nós estamos absorvendo as dívidas contraídas por precatórios e as operações de crédito de R$50 milhões do Finisa, que é um programa de financiamento voltado ao setor público para obras de infraestrutura e saneamento”, informa.
 
Francisco Júnior também anuncia que a Secretaria trabalha na implementação de serviços para que os contribuintes possam emitir guias e renegociar dívidas através da internet, sem a necessidade de enfrentar filas. 
 
Outra novidade que será lançada em breve é o programa para emissão de notas fiscais eletrônicas avulsas para profissionais liberais. Um recurso que vai agilizar e facilitar a emissão de documentos como Certidão Negativa, ITBI e Alvará Online.
 
“Nossa plataforma de serviços pela internet vai proporcionar esses serviços de forma rápida, com segurança e de modo responsável para manter despesas e pagamentos em dia, absorvendo todas as dívidas contraídas pela administração anterior e sem sacrificar a execução de programas e projetos”, explicou o secretário.
 
Dívidas do Passado – O secretário municipal de Fazenda elencou dívidas que foram contraídas pela gestão anterior e que a Prefeitura precisa quitar. Segundo ele, são R$6 milhões em precatórios, R$50 milhões de operação de crédito junto à Finisa, além de outros empréstimos pelo BDMG, o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais.
 
“O importante é saber que não vamos deixar o município desatendido. Estamos trabalhando sem medir esforços, mas com a certeza de que iremos superar os obstáculos fazendo o melhor para nossa cidade. Proporcionando fluxo de caixa razoável, com tranquilidade, permitindo novas obras, melhorias em vários setores e pagando credores e servidores em dia”, disse Francisco de Assis.
 
Gastos emergenciais – Ao assumir no primeiro dia de janeiro, a atual gestão se deparou com chuva intensa, queda de pontes, barreiras e cheias, prejudicando diversas propriedades rurais. Todas as secretarias municipais e departamentos se uniram para atender as famílias atingidas, principalmente através das secretarias de Desenvolvimento Social, Agricultura, Demsur e Defesa Civil.
 
“Mas outras áreas se uniram para não deixar ninguém desabrigado. Assumimos aluguéis sociais destas vítimas, fornecemos cestas básicas, quentinhas, produtos de higiene pessoal de maneira a não deixar ninguém desamparado. São gastos em torno de R$ 1,15 milhão para recuperar perdas e prejuízos. Mas estamos superando estes desafios iniciais”, explicou Francisco de Assis, lembrando que a atual Administração Municipal pauta pela eficiência do uso do recurso público que está alinhado a todas as secretarias municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.